Naturologia Clínica!

Entender a Causa das Doenças Pela Perspectiva da Naturalidade da Vida: Óbvio Científico!

Em todas as partes do Mundo as mazelas do desequilíbrio da vida humana são alvo dos esforços dos governos e institutos de pesquisas. É verdade que as diversas escolas que militam na área da saúde têm conquistado muitos progressos e têm procurado dar o melhor de sua contribuição para atender às necessidades essenciais da saúde pública. No entanto, aumenta de ano em ano o mar de vítimas de inúmeras moléstias que se alastram por toda a parte, a despeito de todos os referidos esforços. Por que isto ocorre?

Segundo Ellen Gould White, uma das mestras históricas da Escola de Naturologia Clínica que fundamos:

A moléstia nunca vem sem causa. O caminho é preparado e a doença convidada, pela desconsideração para com as leis da saúde. Muitos sofrem em consequência da transgressão dos pais. Conquanto não sejam responsáveis pelo que seus pais fizeram, é, no entanto, seu dever, procurar verificar o que não é violação das leis da saúde. Devem evitar os hábitos errôneos de seus pais, e mediante uma vida correta, colocar-se em melhores condições. O maior número, todavia, sofre devido a sua própria direção errônea. Desatendem aos princípios de saúde por seus hábitos de comer, beber, vestir e trabalhar. Sua transgressão das leis da Natureza produz os infalíveis resultados; e ao sobrevir à doença, muitos não atribuem seu sofrimento à verdadeira causa, mas, murmuram contra Deus por causa de suas aflições. Mas Deus não é o responsável pelo sofrimento que se segue ao menosprezo das leis naturais.[1]

A Naturologia Clínica é o Sistema de Tratamentos Naturais.

A Naturologia Clínica tem como propósito, prevenir e curar por meio de métodos naturais os problemas de saúde da vida humana! Isto tem que ficar claramente definido e entendido! Não é um sistema “cura-tudo”, nem “a panaceia do mundo” ou “um sistema de charlatanismo ou curandeirismo”.

Pode-se aferir que, na atualidade, está amplamente desenvolvida como metodologia em muitas Nações, dentre as quais destacamos, com a imediata indicação de vertentes de investigação, quatro das mais expressivas no cenário mundial:

  1. Na Alemanha temos, dentre muitas:

(1.1) https://www.healthcarestudies.de/Bachelor/Naturheilkunde/

(1.2) http://www.studieren-im-netz.org/studiengaenge/studium-5100-naturheilkunde-und-komplementaere-medizin

(1.3) http://www.master-and-more.de/master-naturheilkunde.html

  1. Nos Estados Unidos, dentre diversas:

(2.1) https://www.bridgeport.edu/academics/graduate/naturopathic-medicine-nd/

(2.2) http://www.naturopathic.org/

(2.3) https://www.scnm.edu/

  1. No Canadá

(3.1) https://aanmc.org/naturopathic-schools/ccnm/

(3.2) https://www.ccnm.edu/

(3.3) https://www.cand.ca/

(3.4) http://cmdq.com/

  1. No Brasil

(4.1) http://portal.anhembi.br/graduacao/cursos/naturologia/#sobre

(4.2) http://www.unisul.br/wps/portal/home/ensino/graduacao/naturologia/#?unidade=11

(4.3) www.naturologiaclinica.org (sob nossa condução).

Poderíamos elencar ainda diversos países, só para citar como exemplo:

  1. Inglaterra: https://www.herenowhealing.com/ ou ainda: http://www.naturopathy-uk.com/
  2. Austrália: http://aihm.wa.edu.au/
  3. Nova Zelândia: http://www.spcnm.ac.nz/
  4. Japão: http://www.amatsu-medicine.com/ ou ainda: http://www.inm.u-toyama.ac.jp/index-e.html
  5. Espanha: http://www.femalt.com/natural.php ou ainda: https://www.heilpraktiker.es/
  6. Itália: http://www.scuolanaturopatia.it/corsi/chi.htm ou ainda: http://www.naturopatia-hermes.it/chi-siamo/
  7. França: http://ecim.pro/ ou ainda: http://www.vitalopathie.fr/
  8. Portugal: http://www.imt.pt/curso_naturopatia_ciencias_tradicionais_holisticas.php, http://www.ipnaturologia.com/, http://www.apnaemmovimento.pt/, https://emac-edu.com/

Segundo o Dr. Jaime Scolnik:

O Naturismo, mais que um sistema terapêutico, é um sistema de vida. Aí está por que o método naturista procura averiguar com riqueza de detalhes como o paciente se alimenta, quantas refeições faz por dia, que pratos as compõem, as bebidas que ingere, detalhes sobre a mastigação e a insalivação. Também investiga o tipo de trabalho, as horas dedicadas ao repouso, diversões ou distrações, características da habitação em que vive e diversos outros detalhes que seria exaustivo enumerar. Na posse de todos esses dados, o médico naturista se inteira do modo de vida do paciente. Isso, aliado ao exame do doente, dá uma ideia cabal da afecção de que ele padece, e assim poderá ser estabelecida uma linha de tratamento eficaz, um tratamento de fundo que se dirija à própria raiz da doença. Desse modo se explica por que a medicina naturista pode curar quase todas as doenças, ainda que não todos os doentes.[2]

A Naturologia Clínica é uma proposta predominantemente preventiva e curativa, onde o que se busca é o equilíbrio corpóreo-psíquico-social por meio de estímulos naturais à vida humana, não invasivos e que almejam a auto harmonização pela ampliação da consciência através de aconselhamento terapêutico.

Holismo Terapêutico é o conceito que se estabelece na Naturologia para o ser humano, que é visto como sendo o conjunto do físico, emocional (familiar), intelectual, espiritual – na dimensão particular e pessoal; seguida da dimensão exterior (cósmica) onde figuram os fatores profissionais,  financeiros, sociais e transitórios. O ser humano é considerado um Santuário Moral, criado por Deus, indivisível, para o bem-estar, liberdade, cidadania com justiça, fraternidade, solidariedade e equilíbrio do desenvolvimento harmônico de todas as suas potencialidades como indivíduo. Esta definição é inalienável da concepção dos Naturologistas Clínicos atrelados à nossa Escola Terapêutica.

As funções do Naturologista Clínico correm na esfera da atividade profissional liberal e podem ser realizadas em consultórios particulares, clínicas em geral, serviços públicos, empresas e, inclusive, a domicílio. Dentre outras possibilidades, consistem em:

1- Proceder ao estudo e a análise do cliente, realizados sempre sob o paradigma holístico terapêutico, a fim de promover a otimização da qualidade de vida, estabelecendo com ele um processo interativo, levando-o ao autoconhecimento e a mudanças nas áreas do comportamento sócio familiar, na elaboração da realidade pessoal e no desenvolvimento da capacidade de ser bem sucedido nas situações da vida;

2- Avaliar os desequilíbrios energéticos, em sua septenária dimensão existencial, dentro do paradigma holístico terapêutico, suas predisposições e possíveis consequências;

3- Promover a catalisação da tendência natural ao autoequilíbrio, facilitando-a pela aplicação das técnicas Naturológicas tradicionais, com o objetivo de transmutar a desarmonia em autoconhecimento, podendo, inclusive, fazer uso de instrumentos e equipamentos não agressivos, além de produtos cuja comercialização seja livre e não medicamentosa ou sintética;

4- Promover a otimização da qualidade de vida e a maximização do potencial de cada cliente/indivíduo.

Atividade Plenamente Reconhecida no Brasil

Portaria 849 de 2017 do MS (Clique Aqui e Baixe a Portaria)

Para fins de conceituação e classificação conforme a Portaria do Ministério da Saúde nº 849/2017, bem como a Classificação Brasileira de Ocupações, CBO nº 3221/25 do Ministério do Trabalho: Naturopata, Naturologista Clínico, Terapeuta Naturista, Terapeuta Holístico ou Naturoterapeuta, significam e dizem respeito à mesma atividade profissional, mas as expressões  Homeopata, Acupunturista e Médico não dizem respeito à nossa atividade profissional.

Naturopatia. Para muitos terapeutas, os princípios da Naturopatia remontam à época de Hipócrates, o qual enfatizou os poderes de cura provenientes da natureza e o uso de medicinas naturais encontradas nos alimentos básicos. Ao longo dos anos, outros tratamentos e manipulações dietéticas foram incorporados na arte da Naturopatia: a hidroterapia (encontrada em spas), o jejum, a higiene natural (ar fresco, água, sol), a fitoterapia, os exercícios, a massagem, a osteopatia e o aconselhamento. Antes da Revolução Industrial, as ideias básicas da Naturopatia (ou seja, dieta, higiene e exercícios sensatos) causaram um efeito intenso na população em geral, tanto que, mais tarde, essas ideias foram incorporadas pelos terapeutas que exerciam a medicina ortodoxa.

A modernização e a urbanização trouxeram no seu bojo seus próprios problemas, como uma alimentação muito refinada, falta de exercícios, doenças decorrentes da ocupação profissional, efeitos colaterais causados por medicamentos e o uso de pesticidas e produtos químicos na agricultura. Não causa nenhum espanto, portanto, que uma população cada vez mais bem-informada, especialmente no Ocidente, considere a Naturopatia e suas noções alimentares como os meios para combater os efeitos desse estilo de vida. Muitos naturopatas modernos consideram-se “terapeutas generalistas naturais”, mas, para eles, contrariamente à medicina alopática, a resistência do indivíduo e sua capacidade de vencer naturalmente uma doença é fundamental. Os sintomas de uma saúde debilitada, como as febres e as erupções cutâneas são consideradas sinais da vitalidade do corpo e sua forma de restabelecer a saúde.[3]

Podemos ver que a definição é bem diferente daquela que se manifesta na estrutura etimológica da palavra Naturopatia. Cremos que esta dificuldade pode ser superada no simples uso de todos nós da expressão Naturologia Clínica.

Com base nestas definições, entendemos que uma boa definição para o que é Naturologia Clínica é:

Naturologia Clínica é uma ciência, arte, técnica, tradição e filosofia de saúde humana, que utiliza recursos naturais no tratamento; entendendo que mediante estes procedimentos, poderá restaurar o equilíbrio homeostático do corpo físico, revitalizar a estrutura psicossomática e, realinhar a energia vital de tal modo que nesta terapêutica multifocal a pessoa perceba: sua missão nesta vida, a glória de Deus e encontre paz interior; partindo de fatores que estão contidos em sua septenária[4] condição existencial. A Naturologia provê uma ética e uma estética, gera um mercado e um conjunto de recursos de gestão que são exclusivos em seu próprio universo conceitual e operacional.

Em minha formação pessoal, graduei-me em Medicina Tradicional em Naturologia Aplicada, pelo Instituto Vida Natural de Asunción (Paraguay) em 2004.

No mesmo ano obtive a Especialização em Iridossomatologia pelo Instituto Holos de Curitiba (Paraná).

Em 2010 conquistei o Doutorado em Naturopatia Científica pelo Instituto Vida Natural de Asunción (Paraguay).

Atualmente[5] participo de diversos cursos de atualização nos seguintes países: Canadá, EUA, França, Portugal, Itália, Colômbia, Equador, Inglaterra, Espanha, Chile e Alemanha. Meu intercâmbio no sentido de acompanhar o máximo da atualização possível nestes países e nos grupos de trabalho com os quais tenho conseguido interagir é permanente.

Atuo na Naturologia Clínica desde 1997. Também tenho formação na área Teológica, Administrativa e Pedagógica. Atualmente sou Acadêmico das Graduações em História (EAD), Ciências Naturais (EAD), Direito (Presencial: Faculdade Kurios, Fortaleza – Ceará, Brasil).

___________________________________________

[1] WHITE, Ellen Gould. A Ciência do Bom Viver. Casa Publicadora Brasileira. Tatuí, SP. 1997, p. 234.

[2] SCOLNIK, Jaime. Cura Pela Medicina Naturista. Círculo do Livro, São Paulo, 1986, p. 46-47.

[3] JAMIL, Tanvir. Medicina Complementar – Um Guia Prático. Editora Manole. São Paulo, SP. 2001, p. 79-80.

[4] Já dissemos que a nossa septenária condição existencial é entendida por nós como sendo: dimensão holística pessoal: físico, emocional, racional (ou intelectual) e espiritual; dimensão holística cósmica: família, sociedade e transcendência (ecológica).

[5] 2017-2018